17 Mar 2009

Nos Trópicos


Uma jornalista convidada pelo Governo Português viaja no mesmo avião do senhor primeiro-ministro aloja-se às nossas expensas num bom hotel come do melhor e cobre a visita do mesmo a Cabo Verde.
No último dia o mesmo num estado de euforia por tudo ter corrido tão bem janta e convida a jornalista para se sentar na sua mesa mesmo ao lado da sua Augusta Pessoa.
A mesma, ignorando a fama de mulherengo do mesmo, aceita e coloca-se imediatamente em triplo risco.

Primeiro traindo a classe, pois outra devia ali estar.
Segundo, porque tirando os duzentos mil da última manifestação folclórica todos os tugas querem estar ali sentados.
E terceiro, porque aparentemente perdera a última ilusão de que era independente nas suas crónicas.

Eis senão, e ninguém sabe como, pois até outro “jornalista” que ali estava nada viu nem ouviu, no lugar onde a mesma estava sentada via-se agora um dos ministros mais taralhouco deste governo.

Pode ler toda esta brincadeira contada aqui com a habitual elegância jornalística.

4 comments:

Anonymous said...

Quem é que é a mulherenga? A namorada do Diogo Infante? A dos fatinhos Armani?
Ganda bixona ! Só não vê quem finge que é cego.

Fado Alexandrino said...

Era a brincar a ver se passava.
Já vejo que nâo passa!

Carlos Santos said...

Já agora, um desafio. Nem os seus colegas liberais do Blasfémias conseguem defender as barbaridades económicas dos insurgentes que contrapus aqui: http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/03/replica-ao-insurgente-sobre.html
Tente o amigo!

Carlos

Fado Alexandrino said...

Fiquei um bocadinho corado quando me compara com os génios do Blasfémias.
Somos de outra galáxia.
De economia só gosto de citar Eddie George

There are three kinds of economists. Those who can count and those who can't