8 Aug 2009

Está tudo doido?


Se não está, parece.
O arquitecto Souto Moura, autor do projecto do Estádio Municipal de Braga, já foi contactado pelo município bracarense e aceitou a tarefa de desenhar um plano de ampliação provisória do recinto

Ora este estádio, que é na realidade monumental e único no Mundo, é um dos dez construídos em Portugal para a realização do Euro 2004, tendo sido pago pela autarquia bracarense, que desembolsou para cima de 100 milhões de euros.
Se ninguém consegue imaginar o que é que num país do quarto mundo como o nosso se podia fazer com aquele dinheiro é fácil imaginar quantos pobres haverá naquela cidade.
O estádio Municipal de Braga tem 30 mil lugares e talvez tenha estado quase cheio em um ou dois jogos.
Na época passada o prato forte, que é o jogo com os rivais do Porto teve 14,182 espectadores e o com o outro arqui-rival, o Guimarães teve 12,262.
Dos outros jogos, por simpatia, não digo os números.

Mas como sabemos a tolice expande-se e assim o arquitecto Souto Moura descobre que sem querer fazer estimativas de custos, Souto Moura desvalorizou o obrigatório dispêndio financeiro nas bancadas amovíveis, lembrando que o investimento nos estádios para o Euro 2004 "teve retorno". O criador da "Pedreira" não sabe ainda se o projecto final abarcará bancadas nos dois topos, mas "o ideal será recorrer a apenas um, sempre com a condição de serem retiradas posteriormente".

Não há maneira de fazer parar esta tolice?
Itálicos do Público.

1 comment:

Miguel said...

Aí está uma pergunta que faço muitas vezes:
Não há maneira de evitar estas idiotices feitas com o dinheiro de todos nós? Tem de haver!