10 Aug 2009

8-Autocarros-8


Inês Boaventura foi a jornalista que o Público destacou para apoiar a campanha de António Costa a presidente.
Tem feito muito bom trabalho.

Antes de mais uma declaração de interesses; não vou votar a favor de Santana Lopes, vou votar contra o Zé-Que-Fazia-Falta, um indivíduo perigoso, lunático, desbocado e autoritário que é urgente remover do lugar que ocupa.
Portanto a jornalista avençada hoje estampa mais uma grande notícia para Setembro.

Os alunos do primeiro ciclo das escolas do agrupamento Marquesa de Alorna vão dispor, a partir de Setembro, de oito autocarros para realizar os trajectos entre as suas casas e os estabelecimentos de ensino, mas também para os levar às piscinas, museus, teatros, jardins e bibliotecas de Lisboa.

Ou seja numa cidade capital como Lisboa onde não faltam transportes públicos e onde este agrupamento é servido por dezenas de autocarros e Metro a Câmara falida vai gastar mais dinheiro.
Como é que vai ser feito.

Os moldes em que se vai desenrolar o projecto piloto foram definidos pela autarquia e pelo especialista em transportes José Manuel Viegas. Na semana passada o caderno de encargos foi enviado às empresas do sector, a quem caberá o fornecimento dos veículos e dos motoristas, devendo o projecto ser adjudicado por consulta prévia nas próximas semanas.

Este “especialista” já tem cadeira vitalícia. Aparece em todas as notícias.
E quem paga?

Rosalia Vargas explica que a intenção é que a partir de Setembro de 2010 todos os alunos do primeiro ciclo e do pré-escolar possam usufruir de transporte escolar. O serviço será gratuito para as crianças do primeiro e segundo escalões de rendimento.

Está a sentir que lhe estão a meter a mão no bolso?
Pois estão.

2 comments:

Gustavo Menezes said...

Esta medida não serve de nada. Aliás, serve apenas alunos de colégios. A maioria dos alunos na cidade mora perto das escolas, e é ridículo que se apresente esta medida como uma grande coisa que a CML faz. Se é preciso um autocarro por cada escola, pois bem. Mas o autocarro escolar é uma tanga.

A propósito desta jornalista, já não é a primeira vez que vende a alma ao diabo. É vergonhoso que o Público lance cá para fora estas coisas.

Fado Alexandrino said...

É vergonhoso que o Público lance cá para fora estas coisas.


Pois é, mas eles são como a nossa Maria, têm que fazer pela vidinha.