29 Mar 2012

Colírio



Que manso e cego
o nó da tua voz!

Se desatá-lo pudesse
dos meus lábios ...

Se apunhalá-lo pudesse
ou não custasse
adormecer e acordar
com ele em face.

Maria Teresa Horta - As Palavras do Corpo

2 comments:

Carlos Lopes said...

Ah, a minha adorada Debbie Harry, os meus adorados Blondie! Belo poema. Não me importava nada que fosse meu...

Fado Alexandrino said...

Aprovado mas não desfazendo as outras duas fazem uma escolha dificil.