7 Sep 2009

Encrespado


Não se pode dizer que de Espanha nem boa brisa nem boa Prisa, porque o clima para este monumental acto censório é da exclusiva responsabilidade de José Sócrates.

Quem é que diz esta brutalidade?
Um trolha qualquer numa mesa de café depois de uns bagaços?
Não, quem escreve isto é aquele que todos os dias é incensado pela sua frontalidade, é jornalista e uma vez nas Américas levou uma arrochada na testa (há outras palavras para designar isto).
É, portanto, o jornalista Mário Crespo.
Não se fica por aqui e atira:

O regime que José Sócrates capturou com uma poderosa máquina de relações públicas tentou tudo para silenciar a incómoda fonte de perturbação que semanalmente denunciou a estranha agenda de despachos do seu Ministério do Ambiente, as singularidades do seu curriculum académico e as peculiaridades dos seus invulgares negócios imobiliários.

É muito difícil lançar um “suponhamos” sem nenhuma base factual credível mas ele consegue.
Mário Crespo consegue terminar ainda pior do que começa.
Vamos ler:

É indiferente se a censura o favorece ou prejudica. O importante é ter em mente que, quem actua assim, não pode estar à frente de um país livre. Para Angola, Chile ou Líbia está bem. Para Portugal não serve.

Mas qual é a ideia de meter aqui o Chile?
Por ter tido um golpe de estado há décadas?
Coitado, aquela pancada deve ter estragado qualquer peça importante na cabeça.

6 comments:

Anonymous said...

ó fadista, o que aconteceu no Chile com Pinochet está a acontecer com Sócrates em Portugal. Essa é que é essa. vota PS e fodes-te. Com ou sem pacada na cabeça o Crespo é o que nos resta

João said...

Fado:
Até na entrevista á Judite de Sousa, o Sócrates pediu explicações de uma pergunta dirigida ao Jerónimo.
Em directo, sendo resposta final.
Quem o faz desta maneira, imagine-se nos corredores do poder.
O Mário Crespo tem o meu aplauso.
É dos poucos jornalistas que os tem no sítio, vide o caso dos trangénicos com o Louçã, o caso dos ciganos da Quinta da Fonte com os libertários,etc,etc.
Mário Crespo fala verdade, não é politicamente correcto.
Se não fosse o Jorge Sampaio trucidar literalmente, o Pedro Santana Lopes,nunca o Sócrates tinha chegado ao poder.
Ainda, se o Cavaco fosse como o Jorge Sampaio,há muito o Sócrates tinha tirado bilhete só de ida.

Fado Alexandrino said...

Muito obrigado.
Não vejo qualquer hipótese de votar no engenheiro de plástico, mas também não vejo como é que lhe podem chamar fascista, nazi ou (isso seria o máximo insulto) comunista.
Por outro lado Crespo faz um jornalismo que eu não gosto, é parcial e raivoso.
Para ser sincero também não vejo ninguém a ser isento na classe dos jornalistas.
Estão todos bem uns para os outros.

Anonymous said...

ó fadista olhe que se não vota no sócrates anda a defende-lo muito bem. quase que me enganou e o engº agradece-lhe essa verrinosidade contra quem critica o pS socrático

João said...

Fado:;
O gosto é pessoal.
Agora que o Mário Crespo tem razão, tem.

candida said...

eu gosto. nunca vi nada de incorrecto nas entrevistas k faz.