18 Jun 2009

Eleições


Salazar era um fulano com uma visão fabulosa.
Conseguia ver com décadas e décadas de avanço.
Uma das suas maiores visões era de que o povinho não estava preparado para eleições e assim para lhe evitar essa maçada e eventuais erros nos boletins de votos, criou o sistema de um partido, um homem e uma única cruzinha a fazer no papelucho.
Resultou tão bem que durou quarenta e tal anos.

Depois veio o 25A mas velhos hábitos são difíceis de perder e o MFA também não queria eleições, queria antes elevar Cunhal e Sus Muchachos ao altar e fez o que podia e mesmo aquilo que não podia.
Não resultou, ficaram muito amuados e fartaram-se de dizer que o povinho tinha escolhido mal, que assim não se cumpria Abril e outras balelas que deram origem a muitas baladas.

E agora, lá voltaram alguns dos institucionais a acreditar na burrice do povinho.
Que não podem votar para duas eleições ao mesmo tempo, que se enganam nas cruzes, que em vez de votar no padrinho da junta votam no senhor deputado, uma tragédia.

Têm razão, o povinho é mesmo burro, se fosse esperto já tinha corrido com eles.
Pode ser que esteja para breve.

4 comments:

Toninho said...

Bem pensado, aliás...muito bem pensado Fado.

;)

Cumprimentos.

Pézinhos N' Areia said...

se quer saber eu até penso que deveriam ser as três eleições ao mm tempo: europeias, legislativas e autárquicas.

Apenas com uma chamada de atenção:

ainda que no mm dia, em mesas diferentes. Ou seja, a separação da mesa de voto para cada uma das eleições.

Não concordo que sejam entregues os dois boletins de voto para o cidadão votar, na mesma mesa.

o facto de haver separação de mesa ajuda a distinguir o objectivo da eleição.

Para os mais incautos ou ... ignorantes.


cumprimentos,





Mas verdade, verdadinha sou pela política de referendo tipo Suíça.
Acabava-se o tacho para muitos deputados que sobrevivem da mama do Estado e não fazem néria, e ainda por cima ficam com pensões douradas.

Anonymous said...

Fabuloso post.

Isabel

Fado Alexandrino said...

Muito obrigado.
Nao faltará no dia das eleições o comentário terceiro mundista "correram sem incidentes".
Ainda acredito que Cavaco até como prova de força as marque para o mesmo dia.