17 Apr 2011

O lado Lunar da Alma


A geografia do corpo
é brusca e acentuada
Mas da sua transcendência
limito-me a saber nada

I Blog Your Pardon

Três complexas vidas por caminhos tortuosos cruzam-se e unem-se em Paris.

Um é um soldado russo homossexual e desertor de uma qualquer unidade que mal arranha o trivial do francês, o outro é um argelino quase igual a dezenas de milhares que estão por todo o lado em França e o outro agora é uma outra uma vez que sendo transexual adoptou nome e postura de mulher.
O russo lava pratos num restaurante o magrebino prostitui-se com homens e mulheres em qualquer casa de banho de uma estação ferroviária que esteja disponível e Stéphanie prostitui-se na berma de estrada.
Por curiosidade na estrada (será o Bois de Boulogne?) a língua falada é o brasileiro.
Um quadro de extrema miséria moral e material.

E um dia o hospital onde a mãe de Stéphanie está internada com doença terminal envia-a para casa e telefona ao filho/a a qual se vê forçada a retornar 17 anos depois à terriola acompanhada pelos seus dois namorados para um reencontro com alguma amargura com a velha Mãe doente e sozinha uma vez que o marido já morreu.
O filme está cuidadosamente montado com retornos ao passado onde nos mostra como se conheceram e quem eram.
As cenas sexuais (atenção são muito explícitas) são filmadas com a rudeza própria deste tipo de relações mas com um olhar que apenas os franceses conseguem imprimir a este tipo de filmes.
A sexualidade é um tema complexo e a aceitação da diferença não é nada fácil, este filme mostra isso.

Está aqui

3 comments:

Carlos Lopes said...

Obrigado pela (p)referência ;-)

Um abraço.

Fado Alexandrino said...

Parecia feito de propósito para este complexo filme.

Do Médio-Oriente e afins said...

Publiquei o "trailer" do filme que, indesculpavelmente, não conhecia.