15 Sep 2012

Um cabaz de sumidades

 
O Expresso desta semana resolveu fazer um ataque total a Passos Coelho e por tabela a Vítor Gaspar.
Seguindo o avisado conselho do serralheiro-mor do Reino, o senhor Emídio Rangel que foi autor da célebre frase “vender um Presidente é como vender um sabonete” resolveram apear o primeiro-ministro para eventualmente colocarem lá o pouco Seguro.
Mas este já não risca nada.
António Costa o meio-irmão de Ricardo Costa é o senhor que se segue.
Vamos então ver quem foram os amanuenses de serviço.
 

Em primeiro lugar destacado o dono de uma-página-uma, Sousa Tavares, mas este é sempre igual há vinte anos que clama que ou Portugal vai acabar, ou vão acabar com os caçadores ou vão acabar com os fumadores ou que as Câmaras são todos corruptas ou que a classe política é uma merda enfim mais do mesmo até ele um dia se candidatar.
 
Depois António, o homem dos bonecos, Ricardo Costa (esse mesmo), Altos e Baixos, João Garcia, Fernando Madrinha, Maria Filomena Mónica (foram-lhe ao bolso), Gente, Editorial, Martim Avillez Figueiredo, Pedro Adão e Silva, Daniel Oliveira (olha quem), Henrique Raposo, as cartas ao director (incrível como entre tantas calharam logo estas, que pontaria), as páginas de desporto escaparam, Henrique Monteiro e vários artigos catastróficos de amanuenses de segunda linha.
Disseram todos, presente.
 
No caderno Economia a honra maior coube a Nicolau Santos, uma página inteira seguiu-se Altos e Baixos, Cartoon, Manuela Ferreira Leite, Luís Marques, João Vieira Pereira (que titulou O Nojo! o seu apontamento), João Duque e Luís Mira Amaral e artigo atrás de artigo a anunciar a catástrofe de outros amanuenses de terceira linha.
 
Avancemos para a Revista e lá está a CFA entre um almoço-entrevista e uma entrevista-almoço e claro o Comendador Marques Correia (versão brincalhona de um dos que já foram mencionados).
José Quitério continua a falar apenas de restaurantes.
E no Actual Ana Cristina Leonardo regressou a uma juventude de luta e revolução em vez de comentar (o que tão bem sabe fazer) livros.
Nas palavras cruzadas não meteram nada desta política tuga.
Um verdadeiro pleno.
Se esqueci algum, peço desculpa.
Gostei.
 
Porque é que esta gente não se junta e não faz O Novo Governo Tuga Que Vai Resolver Tudo?

4 comments:

Anonymous said...

Contigo em chefe do reino-mor a perorar inanidades em tudo que é blogue.

Anonymous said...

Não foi único, não foi único... o DN, ainda que mais discreto, publicou um texto de Francisco Mangas com as opiniões de Alfredo Barroso, Eurico de Figueiredo, e tutti quanti.


Capitão Gancho

Isabel Metello said...

Engraçado, tb tenho notado uma congruência organizacional uníssona neste medium. A isso chama-se Liberdade de Expressão Abrilista e polilogia pelo Novo Acordo Mediático, não é?

F.A. said...

Obrigado.
No DN é natural, está lá a namoradinha de Portugal, a "f" e um primeiro amor nunca se esquece.