22 Jul 2015

Ódio velho não cansa

Este sacana rancoroso, aqui fotografado na casa da Câmara que habita em Lisboa por não ter posses, titula a sua crónica de hoje no pasquim como no título se menciona.
Não se vai transcrever aqui a nojeira que é, uma vez que o comunista arrasa sempre tudo e todos menos os seguidores do Stalin.
Mas veja-se um apanhado com que ele ornamenta os ódios de estimação.

 Nasceu o IV Reich ... o balde de cal num cadáver pútrido que só servia para engalanar as vaidades de Angela Merkel e o psicotismo de Wolfgang Schaeuble.
Três mentirosos, ou apenas um, aquele, relapso e contumaz, que conhecemos como tal? (*)

...entender o grau de aviltamento a que estivera obrigado por um grupo de países que só dança ao som do banjo do suserano. A Alemanha, evidentemente.
...e os alemães aumentaram o ódio e o desprezo que por eles nutre um povo de onde veio tudo o que cultural e moralmente somos [Hélia Correia]. A ruptura aberta não é cauterizável a curto prazo, e ódio velho não cansa. Depois, o regozijo de Merkel, cujo desconhecimento de causa se torna cada vez mais evidente, pois a senhora não passa de factótum de grandes interesses, irritou, ainda mais, a nação grega.

Para o saltimbanco do Tsipras reservou " o rosto fechado e trágico "


É uma pena que os jornais (**)continuem a aceitar esta cloaca andante

(*) o Passos Coelho claro está que o atormenta nos sonhos.
(**) Na realidade é só o tabloide onde cabe tudo.

2 comments:

Lufra said...

O homem passa a noite com pesadelos, ouve passos!

F.A. said...

Falando claramente, um refinado filho da puta.
Se morder a língua, morre envenenado.