22 Jun 2011

Naquela tola só há veneno


Baptista-Bastos é um grande admirador do comunismo e como também gosta do comodismo continua a ocupar a preço simbólico uma casa da Câmara (ou seja de todos nós) sem o mínimo pudor.
E pudor também é o que lhe falta para antever as desgraças do novo Governo.
Vamos ler:

Esta ausência de programa e a profusão de declarações produzidas, algumas insensatas, outras decisivamente tolas, não impediram os portugueses de votar no PSD de Passos Coelho.

Pois não, não só não impediram como até lhe deram uma confortável maioria. Mas o BB explica que este voto não é em quem ganhou é apenas contra quem perdeu ou seja contra o Pinóquio.
Como este já se foi embora trata-se agora de adjectivar o novo e aqui o BB não é de cerimónias.

Passos Coelho  "é "peremptório", "sempre falou de mais, para, a seguir, se desdizer e remendar", "é obstinado", que colocar "os "privados", o "mercado", a "competição", (as aspas são dele), a mandar em tudo e tem "declarações produzidas, algumas insensatas, outras decisivamente tolas".

Concretamente sobre o Governo tem uma composição "engraçadíssima", é uma "barafunda" e "parece absurdo e abstruso".
Um comentário ao artigo de opinião resume tudo.

"Este chéché já não diz coisa com coisa"

2 comments:

Anonymous said...

A merda é que ele tem razão

Fado Alexandrino said...

Obrigado.
Uma opinião a respeitar.
Eu prefiro criticar depois e foi por isso que votei (pode ter sido a última vez que o faça) nele.

Já quanto ao BB a casa dele na Estrada da Luz dava-me jeito.
Afinal também fui baptizado.