12 Jul 2008

Não há dinheiro, não há vícios


O senhor ou a senhora estão mais ou menos na vida e resolvem comprar um carro.
Depois de lidos muitos panfletos publicitários, consultar a opinião de amigos e várias visitas aos stands lá se decidem por um dos modelos e dão um pequeno sinal para oficializar a compra.
O vendedor muito amável informa que só vai ter o popó dali a sete meses.
Contrariado aceita.

Mas dois meses depois a sua querida firma muda-se para o Paquistão e o seu lindo emprego e o seu lindo ordenado evaporam-se no ar.
Vai a correr ao stand para anular a ordem, mas o amável vendedor, agora já não tão amável, diz-lhe que assim vai perder o sinal.
Que remédio, não há volta a dar, até porque agora além de não ter dinheiro não precisa do carro para nada.
E pronto de orelha murcha mas ligeiramente aliviado lá volta para a sua casinha.

É isto que Manuel Ferreira Leite quer fazer em relação aos trilhões que o Governo quer gastar do que não tem.
O Homem de Aço acha que pelo contrário, deve comprar o carro, deixar de comer e morrer de fome sentado no mesmo, parado à porta da Misericórdia
.

1 comment:

Jorge said...

Hola amigo: quería invitarte que visites el blog que estoy realizando con mis alumnos de segundo año de la secundaria sobre LA DISCRIMINACIÓN.
http://nodiscrimine.blogspot.com
Tema arduo e interesante.
Seguro será de tu agrado.
Tu aporte será valioso
Un abrazo desde la Argentina.