29 Jun 2015

Simples

A pergunta grega.
Conforme explicou Sousa Tavares o SIM é bom porque um governo que apostou no NÃO sai fortalecido.
Pode explicar aos estimados gregos que queria o NÂO mas como eles votaram o SIM, então já não tem mais responsabilidades daqui para a frente.
Mas como alguém tem que governar, vai manter-se.
De seguida mais uma opinião deste excelente comentador

28 Jun 2015

Duas mulheres envolvidas com taxistas



Para os confrades do Malomil

Mediafire

 
 

Consultório Sentimental

Olha Cátia, uma excelente escolha para começo e ao que parece começaste muito bem, pois o matulão aprecia, claro era o que mais faltava que ainda reclamasse.
Mas se quiseres ter filhos, tens que aprender outras posições.
Quanto ao teu pequeno problema, só houve uma até agora que o resolveu.
Foi a Linda Lovelace, mas essa tinha uma coisa que tu não tens.
E ela só descobriu quando foi ao otorrinolaringologista e já tinha 24 anos.
Em sete anos, e lançada como vais, chegas lá.
Boa sorte.




Falem, falem muito

Os nossos políticos deviam aprender com esta jovem.
Não há revista, não há suplemento, não há semana nenhuma, que não traga um apontamento, uma entrevista, uma declaração, uma baboseira que a envolva.

22 Jun 2015

(Novo) Museu dos Coches

A parte exterior, enorme, não tem absolutamente nada, nem um banco de jardim, aliás nem devia ter pois não há um centímetro de relva, não há uma árvore por minúscula que seja.
O que existe é um empedrado horrível, feito a martelo e do qual até se teve vergonha de fotografar.
Parece que era para ser uma praça, para ser fruída (adoram estes termos caros)
Dizem que está inacabado.
Pois está, talvez para sempre.

Vai em substituição

Não há mais nada a dizer sobre esta preciosidade, já foi visto por todos.
Por acaso até há.
É relembrar a maravilhosa Diane Lane numa inesquecível actuação.
A banda sonora aqui apresentada é também uma preciosidade.
Ouça com o som no máximo o "Ill Wind" e o "Mood Indigo".



18 Jun 2015

Resolva em 20 segundos

É o tempo que uma criança de sies anos em Hong Kong demora.
A solução, claro que a encontrou, pode ser conferida aqui


17 Jun 2015

Duas obras absolutamente magnificentes


O cinema japonês no seu auge.
O primeiro tem como inspiração uma história real que pode ler aqui
Com esse mito urbano (está na moda) constrói-se a delirante história de uma rapariga introvertida e paranoica que acredita  que a cena em "Fargo" onde um dos assassinos esconde uma mala cheia de dinheiro, é real.
E de Tokyo parte rumo ao Nebraska afrontando tudo e todos, num Inverno inclemente.
Tem um final feliz, porque à sua maneira encontra a paz.

O segundo está para lá de qualquer descrição.
Só vendo.
Em resumo um talentoso músico perde subitamente o emprego e vai para a antiga casa da Mãe lá longe na província.
O único emprego que encontra corresponde a um costume ancestral, usado em algumas religiões.
Consiste em preparar o morto, em frente de toda a família, lavando-o, vestindo-o, barbeando-o, enfim embelezando a morte até parecer que há vida.
Tudo com o rigor e a delicadeza que eles colocam em todos os actos formais.
Ganhou um Oscar.

Tanto um como o outro requerem disposição mental para os enfrentar.
São muito dolorosos.
Se puder, e tiver coragem, não os perca.


16 Jun 2015

Por 60 cêntimos mais IVA você também pode saber tudo sobre si

O Marcolino desesperado resolveu consultar uma cartomante.
Chegou e tocou à campainha.
Lá de dentro a cartomante perguntou:
Quem está aí?
Marcolino desanimado foi-se embora.
Esta não adivinha nada.
Mas esta sabe tudo.
Depois de minucioso estudo, descobriu que a Charlotte vai gostar de coisas boas, belas e de muito conforto.
Eu que também adivinho muitas coisas, sei que os papás (dentro das possibilidades) vão fazer tudo o que puderem para que este prognóstico da taróloga, astróloga, quiromante, se torne realidade.

14 Jun 2015

Para o amigo Carlos


 
 
 
 
 

Figo, espera mais um bocadinho

É claro que não ia sair assim tão desportivamente como os outros esperavam.
Vão ter que lutar um bocadinho mais, para já a "vaga de fundo" começa onde tudo começou, em África e na Ásia.

13 Jun 2015

Felizmente foi removido


Realezas

Hoje houve duas espampanantes cerimónias  reais na Europa.
Um aniversário e um casamento.
Cá o nosso quase Rei, a nossa quase Rainha e os nossos quase principezinhos, fizeram uma festinha temática para comemorar os 18 anos da anafada Maria Francisca Isabel de Bragança.
Parabéns.

10 Jun 2015

Um adivinha


Na primeira página duas notícias, dois detidos, duas decisões.
Qual dos juízes decidiu bem?

8 Jun 2015

O futuro confirma o passado


O ministro da Economia defendeu hoje que o caminho para a internacionalização das empresas portuguesas passa pela afirmação dos produtos nacionais, dando como exemplo os pastéis de nata, que podem ser tão vendáveis “como os churrascos Nando’s ou os hambúrgueres”.

Os inteligentes do rectângulo fartaram-se de o gozar.
O que ele se deve rir, se acaso esta notícia lhe chegar às mãos.


Pode ler  aqui coleção espectacular de gente do nosso povo, muito inteligente a comentar a ideia.

Capacho

Ele é natural que não tenha vergonha na cara.
Ressabiado com o partido onde julgava que tinha Um Grande Lugar, e por ter sido preterido no inútil Conselho de Estado, apostou em tudo fazer para denegrir Passos Coelho e por tabela tudo o que mexa no partido.
Mas a família, Senhor!
Que desgraça para os filhos lerem estas patética declarações a rastejar mendigando um tacho.
Ao que se pode chegar.
Tristeza.


4 Jun 2015

Mostram logo os trunfos

No Público não brincam em serviço.
A coligação apresentou 9 medidas eleitorais.
Eles escolhem duas frases e dão-lhes um teor negativo.
Como por acaso, mesmo ao lado três medidas do programa do PS donde escorrem mel e ambrósia.


Gravado noutra Catedral


3 Jun 2015

Nunca um disse tanto com tão poucas palavras


Tempos difíceis para profetas da catástrofe. Lembram-se de Mário Soares, exultante, a profetizar um "novo regicídio"? Doutores em sociologia, sindicalistas de TV, politólogos, oligarcas, vândalos de garganta, anunciaram pancadaria da grossa (o termo não era esse, mas já se sabe).

Foram três anos à beira do abismo. Na melhor das hipóteses morreríamos todos. Ontem, na rádio, um psiquiatra disse-se surpreendido porque os suicídios não aumentaram com a crise; em vez disso, as pessoas resistiram, ajudaram-se, encontraram formas de manter a cabeça erguida. Ele (e vários colegas de que me recordo, igualmente surpreendidos) esperava hara-kiris: as pessoas desiludiram-no. Sentado no gabinete, confiante, preparava-se para contar suicidas, feliz da vida – e nada; houve menos suicídios. Isto é um país medonho; está sempre a desiludir.


Correio da Manhã 03/06/2015

2 Jun 2015

Alicia Vikander


Dois filmes de época, com um esplendoroso rigor em todos os pequenos e grandes pormenores.
O primeiro passado numa Dinamarca no século XVIII, com um Rei praticamente doido e cuja fascinante historia pode ser lida aqui .
O segundo durante a Primeira Guerra Mundial cujos horrores foram esquecidos mesmo após os milhões de mortos e estropiados que a mesma causou, talvez porque muita gente pensava assim:

Num e noutro uma actriz com duas interpretações absolutamente estonteantes.
Ei-la

Se puder não perca nenhum deles (um julgo que ainda anda por aí em exibição).





Uma comédia em quadradinhos

 
No passado dia 29 de maio estive, pela sexta vez, na prisão de Évora a visitar o meu amigo José Sócrates. Fiquei muito impressionado com a sua resistência e dinamismo ao fim de seis meses de prisão sem nunca ter sido ouvido pela justiça nem ter sido formalmente acusado do que quer que seja.

O Don Corleone Tuga, mesmo com os seus 90 aninhos, vai regularmente visitar o 44, no nosso carro e com o motorista que também pagamos.
Mas o 44 mostra-se renitente e não quer dar os números das contas que estão lá fora.
Ele bem sabe que

 
E o Don Corleone muito irritado porque não está, nem nunca esteve habituado a que o contrariem vai mandando avisos que são ameaças


Ao fim de seis meses de prisão sem provas e sem qualquer fundamento que a justifique, é caso para nos interrogarmos porque é que o juiz Carlos Alexandre e mesmo o procurador Rosário Teixeira o mantêm preso, uma vez que não apresentam provas para o poder acusar e, muito menos ainda, para o manter em prisão preventiva. É também caso para o juiz Carlos Alexandre e o procurador Rosário Teixeira pararem para pensar e porem termo a esta situação.
Até ao dia 9 de junho devem ser reexaminados os pressupostos da prisão preventiva. Esse reexame, que a lei impõe, é uma excelente oportunidade para, dentro da normalidade processual, se pôr termo a uma situação que prejudica o país no plano nacional e internacional, que perturba a convivência democrática e constrange o lançamento e o desenvolvimento de projetos de investimento estrangeiro de que Portugal precisa urgentemente.

Vai ter que se habituar.
Estes não torcem e o 44 continua com os 5 ases na mão e diz-lhe