30 Dec 2012

Parabéns, um dia vais à viola.

Um rapaz muito inteligente.
Hoje podia estar a jogar numa competição europeia, a lutar pelo Campeonato Nacional, pela Taça de Portugal e até, vejam bem, pela Taça da Liga.
Assim está calmo e sem problemas.
Os jogos dele são todos a feijões.

Desejos húmidos

 
 
O Expresso colaborou e incentivou na maior "baptistada" do ano.
Querem mais.
E assim juntam-se ao jornal "i".
Mas eles não sabem que o Ministro da Economia é um clone.
O homem que fazia de ministro está há seis meses na OCDE.
Depois dos diplomas virtuais, um passo em frente, um ministro virtual.
Continuem.

Artur Baptista da Silva (Parte II e III)

 

28 Dec 2012

Nota da Direcção (parcial)


Quando se pede desculpas não de deve aproveitar para responder a quem nos criticou, até porque muitas dessas críticas foram e são justificáveis. Mas há um ponto que o Expresso se vê obrigado a refutar e que tem a ver com as leituras políticas que, inevitavelmente e de forma primária, surgiram. Em momento algum o Expresso deu mais importância a algum tipo de opinião sobre a situação económica do país, em qualquer dos seus cadernos ou no Expresso da Meia-Noite.

Pode rir à vontade.
Uma aldrabice apaga-se com outra aldrabice.


Imagens de "Clue" e "Lincoln".

24 Dec 2012

Estrela Pop (Expresso II)


LOL (Expresso I)

Já se fizeram imensos filmes em que o mocinho é enganado e monta a cavalo abandonando a agreste terra onde fica a grande desolação.
Leia aqui como este já não tão moço assim também foi enganado.
Um grande dramalhão.
Chore, por favor, no fim.

21 Dec 2012

Grandes Momentos Tugas

O pontapé na bola tuga é cheio de curiosidades.
Agora há por aí uma coisinha chamada Taça da Liga. Não conta para nada.
É uma espécie de treino com espectadores.
Mas estes são muito poucos.
Nesta primeira jornada oscilaram entre os 217 espectadores (6% de ocupação) num fantástico Naval – Beira-Mar e os 4693 (16%) noutro fantástico Guimarães – Braga.
Por coincidência ambos os jogos terminaram como começaram sem um golinho para amostra.
Onde houve emoção a rodos foi no Estoril – Setúbal onde 517 (10%) viram o senhor Hugo Miguel mostrar sete cartões amarelos em quinze minutos.
É obra.
Terminou também sem golos.
É sina.
Qualquer dia, agora vai toda a gente descansar quinze dias, há mais.

10 Dec 2012

Dediquem-se à pesca

Onze-Sumidades-Onze daquelas que sabem tudo e dão certezas sobre todas as coisas fizeram uns palpites para o pontapé na bola.
Não acertaram um para amostra.

Sem título


Só olha para o umbigo

 
Nicolau Santos dá uma ajudinha às dúvidas do Sousa Tavares

9 Dec 2012

Consultório Sentimental

Querida Liliana:
O teu problema é de facílima resolução.
Assina a SporTv, tem sempre em casa “A Bola” e o “Record”, mantêm uma bela grade de cerveja no frigorífico e ao lado do sofá coloca assim como quem não quer a coisa, um Bushmills 21 Year-Old Single Malt.
Leva-o com carinho para lá e diz-lhe que o jantar vai ser (coloca aqui o que sabes fazer de melhor alem de usar o vibrador) mas antes lava as mãos..
Tens entre 90 a 120 minutos para te divertires.
Não te esqueças de ter sempre um par de pilhas de reserva.
É muito chato teres que o ir interromper a meio do jogo.
Boa sorte.

Foi bom



Mediafire

6 Dec 2012

Telenovela


A RTP é para privatizar por inteiro. É para privatizar só um dos canais. É para privatizar com todas as antenas de televisão e rádio, mas só 49% do capital e com uma renda fixa de 140 milhões de euros paga pelos contribuintes. É para privatizar até ao final do ano. É para privatizar até ao fim do próximo ano. É para vender aos angolanos. É para entregar a uma TV brasileira. É para um fundo do Panamá. É para a Cofina. É para vender só a concessão. É para juntar à Lusa. É para ficar pública mas sem publicidade. É para ter 12 minutos de publicidade. É para ter seis minutos de publicidade. É para oferecer a RTP Internacional. É para fechar a RTP Memória.

André Macedo DN de hoje

Histórico de uma trapalhada que como as telenovelas pode chegar aos mil episódios e nunca ter fim

5 Dec 2012

Este gajo é um pratinho



De viagem por Cabo Verde, aonde foi com uma luzida corte de parceiros de Governo, o Dr. Passos Coelho passeou, durante quinze minutos, pelas ruas do Mindelo. Conversou animadamente com a população, afagou uns meninos e ficou todo contente quando uma miúda, a uma pergunta sua, disse-lhe o nome. Pedro, é isso mesmo. Rejubilou. Foi quando um jornalista, candidamente, o interrogou sobre há quanto tempo não fazia o mesmo em Portugal. Momento embaraçoso por um lado, e patético por outro. O pobre Passos, sem pudor nem escrúpulo por atropelar a verdade, retorquiu: mas eu ando sempre na rua, com uns e com outros. Uns e outros devem ser os batalhões de guarda-costas, que o seguem diligentes e, amiúde, particularmente agressivos.

2 Dec 2012

A magia na aviação


  
Dão-se alvíssaras a quem a encontrar.
Entregar no Comando Geral da Força Aérea.
Pedir recibo.
 

Muito à frente do seu tempo


Nicolau Santos é o maior economista português vivo.
Nas horas vagas dedica-se à análise da aviação civil e é dele a conclusão que sem a TAP as ligações da Europa à América do Sul ficavam comprometidas.
Usa camisas da Dielmar a quem presta uma pequenina publicidade gratuita e antevê-se já em 2015 assim escapando ao fim do Mundo que vêm aí em Dezembro.
Numa saborosa crónica intitulada “O orçamento que não merece ver a luz do dia” aconselha os deputados a fazerem uma ilegalidade.
Não conhece a Constituição.
Realmente há dias em que as crónicas não deviam ver a luz do dia.